sábado, outubro 30, 2004

Cosmonauta, Não quero que me tires as Rodas

Assim em tons que arranham o aviso e a lembrança, escrevo aqui aquilo já disse:
Cosmonauta, Não quero que me tires as Rodas” – sei que dizes que fazias um trabalhinho limpo, sem sujares a mãos. Mas eu necessito dessas 2 rodas para poder rolar pelo caminho da vida, apoiando-me assim numas das grandes obras associadas ao duplo Pi, tirando posteriormente um “ismo” disto tudo. Sei que a atitude parece ela desprovida de senso aparente – numa demanda de fugir à nossa própria sisudez –mas que ultima análise tudo tem a haver com tudo isto…

1 comentário:

cosmonauta disse...

ainda não consigo parar de rir ...