quinta-feira, maio 26, 2005

O mundo não se transforma de um dia para o outro

Meus amigos, populistas, fascistas:

Isto é só a oficialização do que já tem sido feito há muito muito tempo.

Reparem a horda incrível de trabalhadores do estado que lutam ferozmente ao pastar o dia inteiro no trabalho.
Reparem na classe política, já quase toda fielmente dedicada ao Pipismo, com grandes discursos que têm tanto de acção como de objectividade.
Reparem nos advogados, juízes, procuradores, a lutarem com uma inércia fabulosa para imprimir uma justiça Pipista.
Reparem nas televisões, absolutamente, impereterívelmente, inegavelmente pipistas.


O que nós temos que fazer, nestes cargos, e outros de igual importância (como astronauta, limpador de ruas...ehem, técnico de limpeza urbana, primeiro ministro ou dealer, este último de grande importância, como certamente assumirão, pela dimensão de mercado que é atribuido pela segmentação, inovação nas polícias, alfândegas, geração de dinheiro, etc, etc...) é simplesmente ..... manter o nível. Ou seja, honrar todos os que nos poscederam e que nos precederão, com uma dinâmica de trabalho que os faça dizer: "epá, sim senhor, o teu tacho era o que eu queria, como é que não fui eu a lembrar-me disso". É a nossa responsabilidade, o nosso destino.

Por isso, nos altos cargos que temos (e que tivémos), temos que fazer simbologia prática, honrar compromissos assumidos à muito tempo, ser magnânimes na execução desses, que deixe orgulhosa qualquer pessoa que consiga obter um atestado de férias e que acorde de manhã feliz, não só porque está a passar umas merecidas férias, mas por saber que está a fazer isso com propósitos superiores. No entanto temos que começar devagar. Deixo umas sugestões:
1. Ler a Bola e Maria todos os dias, sem excepção.
2. Praticar a retórica (o que já vem sido trabalhado há muito pouco tempo). Por exemplo, gravar discursos de políticos e praticar em grupo, ou em frente ao espelho, ou então ler o dicionário e tentar arranjar maneira de meter palavras novas em discursos velhos.

Devo finalizar com ... inté!

Novas Disfunções

É com grande emoção que revelo em primeira mão a remodelação burocrática que sofreu o nosso imutável Partido Pipista Português.

Combatendo-se agora a nível mundial O PPP designar-se-á, a partir de agora, por Comité Pipista do Partido do Povo, CPPP. Assumirá as funções do Bloco Central.
O Alto Comissariado para a Segurança e Informação controlará democraticamente o Bloco de Propaganda.
O Comando Superior para a Promoção da Paz assambarcará diplomaticamente o Bloco de Operações Estratégicas.
O Bloco Económico será implacavelmente assimilado pelo Secretariado para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício. Esta pasta terá à cabeça o camarada armakáu, Senhor do Sol, pródigo forreta de humilde ostentação e generoso luxo que não fia nem à mãe. Adiantamos desde já a sua promoção a Senhor do Sol, Aldebarã, Betelgeuse e Próxima de Centauro.

Viva o Pipismo! Viva o CPPP!

Comando Superior para a Promoção da Paz

Pipistas,

O nosso exército não tem líder, desde que o inimigo infiltrado se acobardou para trás da frente de combate. Está desgovernado, camaradas! A situação é crítica. É necessário um chefe firme, resoluto, decidido e todos os demais sinónimos da mesmíssima coisa. Um líder que com a sua modéstia imprima individualmente todo o prumo e pompa da militância, implacável na sua misericórdia. Depois da declaração do camarada João Vasco, resta-me nomeá-lo para o lugar vago de


Generalíssimo Maior da Armada
Almirante-mor da Frota Aérea
Comandante-general de Infantaria

cargos dos quais, sei, está à altura, espero. A ele jurarão obediência todos os nosso bravos. Todos as legiões, centúrias, e comandos superiores combaterão corajosamente em seu nome e debaixo do seu comando infalível.

Avante! Força, Camarada Vasco! Nós seremos a muralha de aço!

Operação Sol Platinado: eu aceito!

Camaradas, Fiéis, Amigos:

O Pipitismo morreu! O Pipitismo está morto! O tempo é uma mera ilusão, mas temos de ser nós a lutar para concretizar o inevitável: para cumprir o nosso destino. Caso contrário o nosso destino não se cumprirá, e o inevitável será evitado.

Temos de derrotar o Pipitismo! Temos de espalhar a verdadeira PALAVRA PIPISTA, a palavra da salvação. Está escrito (livro incolor do pipismo, capítulo 4, versículo PI) «Capítulo 5: O Pipismo triunfiará!».

A era platinada do Pipismo chegou! Os clones do nosso exército vivem numa orgia de harmonia mística. Chegou a hora dos valorosos soldados! Chegou a hora da «Operação Sol Platinado».

Já se ouvem as vozes do esplendor vindouro do amanhã. A perícia da nossa marinha, a precisão da nossa aviação, a coragem do nosso exército fazem-se sentir no próprio tecido que tece a REALIDADE PIPISTA. A força da nossa cavalaria, o fulgor da nossa artilharia, a temeridade das nossas elites, são agora mais do que nunca aquilo que nunca deixaram de ser!

É impressionante ver como o fracasso deplorável dos nossos inimigos tão bem servirá os Magnânimes propósitos da nossa Mãe-Ideologia.

Como a sua raça poluída tão facilmente se vaporiza sob o temor da destreza do nosso exército

O exécito Pipista, na sua infinita misericórdia pelos inimigos que esmaga implacavelmente, será rápido e certeiro em defender a Jusiça e a Paz, nem que para isso tenha de se submeter ao sacrifício de trazer guerra ao mundo para toda a eternidade.

A natureza do exército Pipista demonstra a coragem,a bravura e a rectidão da sua causa:

Quando os nossos inimigos julgam estar perante 5 batalhões Pipistas, e tremem portanto de medo perante a conhecida bravura dos nossos soldados, eles não sabem que estão na verdade perante 6.

E se estiverem perante 6, estão na verdade perante 5, e estando perante 5 estão perante 6, e estando perante 6 estão perante 7.

Em qualquer batalha ocorrida no passado, presente ou futuro, os soldados Pipistas conseguiram, em minoria e com pior equipamento, esmagar os adversários pela força dos números e das armas mais mortíferas. De forma brava e decidida.

O exécito Pipista não ataca os cívis. Educa a população, nem que para isso tenha de recorrer às derradeiras lições que envolvam morte, tortura, pilhagens e violações

enquanto os restantes exécitos não passam de um bando de animais incontroláveis, os soldados Pipistas procuram educar as populações acerca dos males da guerra que abominam, mas que corajosamente desejam para lutarem para a evitar. Se não hesitarem perante a ideia de atacar quem se atravessa no seu caminho, não hesitam em destruír qualquer obstáculo para a PAZ PIPISTA.

E tão só, porque o Sol não é de todos, e porque quem deve deve pagar, mas também porque a Palavra Pipista deve ser espalhada pela Paz e pela compreensão e por todos os meios, mesmo a guerra sangrenta. E tão só por apenas essas e mais uma infinidade de razões, a gloriosa máquina de PAZ PIPISTA que constitui o seu exército se erguerá e enfrentará os desafios do passado, do presente e do Futuro!

E é por todas estas razões em particular, e nenhuma delas em geral, que eu, com um orgulho corajosamente incontido, e uma extrema humildade subtil, aceito a minha nomeação como Generalíssimo Maior da Armada Pipista, Almirante-mor da Frota Aérea, Comandante-general de Infantaria!!!

O Pipismo triunfiará!

O melhor é publicar antes que me arrependa

Minhas senhoras e meus senhores:

Chega de demagogia. Chega de falsidade. Chega de vivermos na penumbra dos tempos à espera que caia a oportunidade de dominarmos o mundo, e arredores. Encontrei o que me parece a solução para todos os nossos problemas (dos pipistas, o resto do pessoal não interessa). O que é preciso é pegar no touro pelos cornos e dizer-lhe assim: epá jovem, já tomavas conta da vaca da tua mulher! E pronto!

Sendo assim, vou passar à acção e declarar perante todos (sim, porque com esta história da internet qualquer papalvo pode chegar a este antro e ver a quantidade exurbitante de excremento que tem sido dito sem no entanto ter havido acção nenhuma, ou seja é só paleio, Excepto esta mensagem, que de modo óbvio, pela maneira brilhante como está exposta, e pela sua praticabilidade, vai ser executada à risca e em pleno, tal como uma promessa eleitoral em fim de campanha quando o candidato está tão desesperado que diz qualquer coisa para obter nem que seja mais um voto ao parvo que tiver o azar de o estar a ouvir, ao candidato, obviamente, não a ele próprio, porque isso seguramente seria pior, afinal de contas é um parvo) o seguinte:

Eu sou o senhor do Sol. (democraticamente, claro)

Quem quiser directamente usufruir do Sol tem de me pagar uma taxa, por energia recebida. (reparar que não é preciso usufruir do Sol, basta querer usufruir para ter de pagar a taxa)

Quem usufruir indirectamente do Sol, tem que pagar uma taxa que eu considere adequada.

Quem pagar pode continuar a viver inutilmente a sua vida, de modo igual ao que tem vivido (embora sem o fardo do dinheiro)

Quem não pagar, vou instruir à face armada do pipismo para tratar desses. Será feito do seguinte modo:
1. agrupar quem não paga por países
2. associar cada país ao lado de um dado
3. lançar o dado
4. atacar o país correspondente ao dado, com armas de distracção massiva
5. intimidar os outros países
6. esperar uns dias que os países chicoteem as pessoas em falta
7. voltar a 1.

Camaradas populistas, é agora o momento (zen), há que não fugir às responsabilidades, e arranjar maneiras de raptar/controlar/(evitar que pessoas usem sem o meu consentimento) o Sol, sim, porque os pormenores não vêem numa declaração de intenções, isso é deixado aos outros que também têm de fazer alguma coisa.

Saudações pipistas a todos, menos àqueles que dizem que são pipistas a toda a gente, mas que no fundo sabem muito bem que não o são

Pipismo Platinado

Camaradas,

O Pipismo requer o nosso maior empenho em trazer o futuro ao presente, seja ele qual for.
Novos tempos se avizinham! Já fustiga as árvores a irrequieta brisa que será a tempestade de amanhã! Já agoiram os velhos sábios, à porta de suas casas, cofiando as barbas brancas, prescrutando os sinais do futuro nas suas experientes memórias. Treme o inimigo perante a bravura dos nossos soldados, marchando sem se deterem. Recolhem as famílias aos seus lares, sob a sombra protectora da nossa bandeira. Deita-se o inabatível Sol, numa vénia àqueles que se levantam, nesta hora de mudança.

Camaradas,

É com grande orgulho que aceito, humildemente, a grande responsabilidade do cargo que me confiais. Servirei o Pipismo à altura que merece. Nada menos que a opulência grandiosa de que a sua ideologia tanto provou ser meritória! Nada menos que a Conquista, nada menos que a Vitória!

Prometo pois, ser fiel à doutrina que sempre tenho seguido até aqui. E prometo cumprir esta promessa.

Salvé, camaradas.

O Alto Comissário para a Segurança e Informação.

Ser do Contra

Bom, eu cá por mim ia mesmo pela época PLATINADA do Pipismo. Reparem que é mais caro, mais valioso, epá, e dá muito mais estilo, além de que é mais raro, mais difícil de encontrar, e se virmos bem, o ouro já está um bocado gasto. Qualquer palerma arranja um bom bocado de ouro, tipo à custa de um rim, ou qualquer coisa assim, agora platina....só por um rim e muito mais!

ERA DOURADA NO PIPISMO

A intensa actividade de publicação verificada entre 6 e 24 de Maio despoletou um verdadeiro evento Histórico.

COMEÇOU A ERA DOURADA DO PIPISMO, que na verdade já tinha começado cronologicamente muito antes da própria criação do tempo, e que acabará alguns instantes depois deste acabar. Pelo entretanto, meta-prolongar-se-á pelos curtos instantes que dura a eterna apreciação da palavra com 4 infens que foi escrita há poucas palavras atrás.

O PIPISMO TRIUNFIARÁ!!!

quarta-feira, maio 25, 2005

o Pipismo e a Informática

Nas antigas linguagens de programação pouparr memória, proçessador e recusrsos era uma prioridade. Muitas vezes o código "sujo" e o desrespito pelos paradigmas da boa programação e regras que garantem a visuabilidade e fácil leitura do código (redundância pipista) acabavam por ser aconselháveis na medida em que podiam promover um ezecutável mais eficiente.

Cada vez é menos assim.
Há medida que a memória abunda nos conputadores, e os prosseçadores são mais rápidos, torna-se mais ridículu querer evitar longos nomes para funções e variáveis. É preferível uma função mais lenta e mais visual (que será, de qualquer forma, suficientement rápida) do que a mais eficiente e críptica.

Cada vez mais a programassão vai favorecer aqueles que têm o código todo bonitinho e visual, cheios de "boas práticas de programação", face aos que têm uma forma de programar mais "straigthforward", tipo "tudo ao molho e fé em Deus" ou "bamo lá embora!!".

Não! Os que têm o código todo pipi, todo cheio de pipizisses vão triunfiar!

O Pipismo triunfiará em todo o lado!

Margovia, não te perdô-o!

Estou lixado contigo, e tu sabes porquê!

PS- os erros ortográficos são Pipistas!