quinta-feira, novembro 10, 2005

Última Hora

A agência de notícias Pipista acaba de anunciar esta noite, que a verdadeira origem das azeitonas foi descoberta pelos lisboetas. Ao que tudo indica as azeitonas são formadas nas oliveiras. Estas novas teorias põem em causa estudos que ao longo de décadas foram sugerindo diversas possíveis origens para as azeitonas. Alguns especialistas falam mesmo no total colapso de todo o modelo padrão para azeitonas que vigorou nos últimos 20/30 anos. "Foram 5 anos da minha vida pelo cano da retrete" babujava um finalista da licenciatura em azeitonas, que já esta tarde, abandonava o edifício da universidade que frequenta, quando começaram a ser divulgados resultados preliminares que apontavam para uma revolução em toda a investigação científica associada a azeitonas.
O modelo que vigora até hoje, sugere que as azeitonas aparecem em recipientes de plástico, contudo existem alguns pormenores mal explicados, como nos foi dito por um investigador português, recentemente a trabalhar em Atenas: "Ainda não se sabe explicar muito bem porque é que umas são castanhas escuras e outras um pouco mais claras". Apesar dos avultados investimentos, levados a cabo por dois institutos em Lisboa, no intuito de conseguir simular em laboratório a geração de azeitonas. Em ambos os casos apenas se conseguiu observar a reacção inversa, ou seja, a desintegração de azeitonas. "Quando os senhores professores voltavam no outro dia pela manhã, o balde das azeitonas já ia a metade" como relatou um funcionário que pediu anonimato uma vez que um inquérito interno ainda está a decorrer.
As novas teorias, segundo o que é dado a entender, começaram a ser desenvolvidas quando um grupo de investigação dedicado à obtenção de azeitonas em castanheiros obteve resultados animadores em algumas oliveiras que por engano teriam sido confundidas com castanheiros mais jovens. Ao que a agência Pipista apurou, esses resultados foram abafados internamente dado o embaraço que poderia suscitar na comunidade científica, bem como na opinião pública em geral.
Membros do grupo de investigação em causa, alertaram ainda para o facto de novas e extraordinárias revelações poderem surgir a qualquer momento. Estes lisboetas afirmaram que a origem do azeite, pode também relacionar-se com as azeitonas. Indo em total desacordo com a tese actual, que sugere que o azeite aparece quando se fritam batatas mediterrânicas.

5 comentários:

João Vasco disse...

Cosmonauta:

Eu, que sou de Lisboa, devo esclarecer-te: o Azeite não se relaciona com as azeitonas, mas sim com o vinagre.

A semelhança entre as palavras é só para enganar!

Francisco Burnay disse...

Mas o vinagre não vem das saladas? Ouvi dizer que as saladas também dão azeite! E às vezes alface, cebola às rodelas e cenoura ralada.

A Fénix de Schroedinger disse...

Eu estive a falar com um amigo meu de LEB que trabalha num laboratório e ele disse-me que todos vocês têm razão. E que não têm, p. e.: "as saladas também dão azeite", é verdade, mas os azeites também dão salada e por aí adiante.

Anónimo disse...

LEB? licenciatura em estupidez binária

Compadre Capito disse...

E a anonimidade dá tomates - QED