sexta-feira, setembro 16, 2005

Cancioneiro Pipista

O Buda

Estava contente, a navegar,
Encontro o Buda - bons olhos o vejam!
Um peido se solta nos céus, um esgar
De saudade, lágrimas sobejam...!

Era mesmo ele - o velho noviço!
Mania que sabe, que é engraçado...
Amarelho badocha, um pouco roliço
Mas gente fina... ...ou se calhar estou enganado...

Está bem que é burro - não pesca de Física,
Está bem que é casmurro - não vale a pena discutir,
Está bem que é feio - tipo velha tísica,
Está bem que é burro... ...ai, já me estou a repetir...

«Mas o Pipismo é isto, paquiderme!»
Digo-lhe eu, serenamente.
Ele não acredita e lá vou eu cansar-me
A explicar tudo novamente:

«Mas o Pipismo é isto, paquiderme!»
Digo eu ao Buda, bébé no desmame.
Ele não percebe e lá vou eu chatear-me
A repetir tudo ad nauseam...

Por isso Buda, atenta no que te digo:
«Ou sim ou sopas» - eu nunca falho...
E se queres mesmo ser nosso amigo,
Abre a boquinha pr'a caralho!