sexta-feira, setembro 16, 2005

desisto, eu confesso,

Confesso, estou perdidamente apaixonada.
Esse teu cabelo silvestre, cor de madeira apodrecida , amortecido por um totó balança nas tuas costas e eu finjo não olhar. Os teus pequeninos olhos sem reflexo ou brilho lançam sobre mim o desejo adormecido. O teu lado feminino suscita em mim a loucura , como pode um menino com cara deslavada com uma barbinha esmorecida e cara mal rapada lançar-me assim neste desejo, talvez seja isso.. o teu lado feminino ultra desenvolvido.. o jeitinho que dás à mão quando falas, a mão que passa no cabelo para o alinhar, o sorrisinho de miuda sempre a espreitar.
Não sei.. talvez seja o teu rabinho... uiiiii a tua bundinha, tão pequenina que parece uma conchinha.. não é o habitual rabinho que preenche as calças.. é pequenino, não se nota, magrinho.. quase que nem se vê.. mas eu gosto do espaço que fica nas calças.. da pequenina barriguinha que insiste em se esconder, esses teus labios fininhos fazem-me estremecer.

Bem sei que nenhuma mulher, como eu, olha para ti, mas isso é porque mais ninguém senão eu vê a eloquência pipitista das tuas palavras, enfermidades que me deixam louca. Uma torrente, chorrilho de verdade pura.

Considera-me agora uma seguidora, a tua admiradora.. não me ignores.. Buda...

3 comentários:

Vlad Tepes IV disse...

Não sei o que dizer... estou abismado. Tamanha e grandiloquente descrição do amor por algo inatingivel só poderia vir de uma alma tão pura que não sei qual dos dois amo mais, a descrevida ou a que a descreveu.

Vlad Tepes IV disse...

Continuo dividido... dou voltas e voltas na cama... o que hei de fazer da minha vida...

SATANUCHO disse...

e é isto ser pipista??
estar apaixonado por um buda???

e eis aqui o declinio do pipismo, e depois não diguem que eu não avisei...